segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Sonhos sorridentes


Se alguém pudesse observar os olhares que eram trocados pelos dois, acharia engraçado. Ou brega. Como as pessoas ficam bregas quando estão apaixonadas!

Ela era mais tímida: só olhava de vem em quando, com os olhos indecisos, medrosos, e nem sorria de tão nervosa. Ele já era mais ousado: olhava direto pra ela, com aquele olhar interessado e sorria quando percebia que ela também o observava.

Ele não sabia direito o que era estar apaixonado. Descobriu o significado quando sonhou com ela e acordou com o coração sorridente. Gostava da rotina de encontrá-la todos os dias no mesmo lugar e no mesmo horário. Mas os encontros inesperados eram mais emocionantes: “Como tá meu cabelo? Eu tô suado? Ai, meu Deus! Acho que fiz uma cara de susto!”

Seu coração acelerava quando ela passava do seu lado e deixava aquele cheiro doce pelo ar.

Mesmo alimentando aquela paixão tão intensa, ele não sabia como se aproximar. Na verdade, não tem muita relação entre isso. Talvez quanto maior a paixão, maior o medo. Ele sentia uma vontade imensa de poder estar do seu lado o dia todo: queria abraçá-la, beijá-la e dar todo o carinho que se acumulara desde o dia em que a vira pela primeira vez.

Num dia, encontraram-se no ônibus. Ele sabia onde ela desceria e viu que aquela era a melhor oportunidade de dar vazão ao seu sentimento (Vazão? Quem usa essa palavra para dizer que uma pessoa decidiu se declarar? Francamente!).

Ela desceu abraçada ao fichário e ele foi atrás. Hesitou. Talvez não devesse... Não! Deixe de ser bobo e enfrente.

Raspou a garganta pra que ela o notasse. Ela se virou receosa.

— Eh... — ele começou bem. — Tudo bem?

— Tudo — ela respondeu com aquela cara de “mais alguma coisa?”.

— Eu tava pensando... — ele disse, levantando a mão para tocar o braço dela.

Ela se afastou na mesma hora. Ele estranhou isso e tentou encostar a mão mais uma vez.

— Não se aproxime! — ela (quase) gritou.

— Hã?

— Não chegue perto de mim, seu maluco tarado!

— Mas eu pensei que...

— Pensou errado! Você acha que esses seus músculos me enganam? Não se aproxime, senão eu grito.

— Como assim? Eu não tô entendendo!

Ele tenta se aproximar mais uma vez. Ela tira um frasquinho da bolsa.

— Sai de perto: é spray de pimenta! — ela ameaçou.

Momento de tensão.

Ele decidiu se dar por vencido. Ela respirou aliviada e saiu.

Ele ficou ali, parado na calçada sem entender. Depois, dez segundos depois, aquilo tudo não passou de mais um episódio da sua vida. Deu uma risadinha, olhou pr’um lado:

— Ah, eu nem queria mesmo!

E voltou pra casa pensando naquela menina que tinha conhecido na noite passada. Gata demais! Descobriu que estava apaixonado quando sonhou com ela e acordou com o coração sorridente.

domingo, 25 de setembro de 2011

Manuela


"Às vezes, você perde o que queria, mas conquista o que nunca imaginou ter."

Prepare-se para chorar muito, Lucas

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Um a um

E o árbitro aponta o meio de campo.

Clássico do Campeonato Estadual, o jogo tinha acabado igual: 1x1. Os dois goleiros tinham sido os heróis da partida: um já era famoso desde os anos 90, com uma carreira impecável e trabalhos fabulosos em vários clubes do país; o outro era o astro do futebol atual: jovem, competente, vivendo o seu momento de glória: campanhas publicitárias e contratos milionários.

O mais jovem tinha o mais velho como um exemplo a ser seguido. Era seu ídolo.

No fim do jogo, o mais jovem tentou uma aproximação.

— E aí? É... muito boa a partida, né?

O outro arqueou a sobrancelha e respondeu com um “Hum”.

— A torcida vibrava com cada defesa sua.

— É sempre assim.

— A gente virou... os heróis do jogo.

— Hum — não gostando nenhum pouco daquele “a gente”.

— As suas defesas foram... Nossa, velho, tu é o cara. Teve um... lembra quando o Juninho deu um bicicleta?... aquilo foi show. Lembrei da sua defesa histórica na Seleção naquele amistoso em 99.

— Ah! Aquilo? Nem foi nada. A gente treina é pra fazer isso.

— Mas foi show, velho!

— Talvez algum dia você consiga. Ou não.

— E o gol? Puta merda! Ninguém pegaria aquele chute do Beto. Eu mesmo não ia dar conta.

— Porque é inexperiente e porque não se dedica nos treinos.

— É, mas...

— E, naquela hora, o Beto tava impedido. Tu vai ver! O treinador vai analisar as imagens e o clube vai querer uma revisão do placar.

— Sério? Eu acho que não...

— Nem de futebol tu entende. E aquele chute do Caio que tu não pegou!... Tsc, tsc. Como você consegue ser tão...?

— Foi um...

— Foi um momento de distração! Um goleiro não pode se distrair. — Olha nos olhos do jovem: — Tem que ter foco.

Um jogador chega dando um abraço no mais jovem.

— O treinador quer uma reunião no vestiário.

O goleiro mais experiente dá um tapinha no rosto do outro:

— Você tem muito a aprender, filho. Treine mais. Ou desista disso logo de uma vez. Quem você tá querendo enganar? — e saiu.

O fã ficou ali com os olhos cheios d’água.

— Ele é tão... tão...

— Metido? Arrogante?

— ... foda! Queria que ele autografasse a minha camisa.


sexta-feira, 16 de setembro de 2011

O Homem Perfeito


— Isso mesmo. Põe tudo pra fora!

Ele segurava o cabelo dela para trás enquanto ela vomitava na pia do banheiro feminino. Ela também tentava enxugar as lágrimas do choro.

— Se tá te fazendo mal, bota tudo pra fora!

Ela limpou o canto da boca, respirou fundo, levantou a cabeça e disse olhando nos olhos dele:

— Por quê? Por que ele me deixou?

— Ai, gente! Você ainda tá pensando naquele cara? Esquece isso. Ele não merece esse seu sofrimento, amiga. Homem não vale nada.

— Não, mas ele é diferente. Ele é perfeito.

— Ih, não! Enlouqueceu, mesmo, hein! Não existe homem perfeito.

— Existe, sim. Ele é atencioso, romântico, abre a porta do carro pra mim, puxa a cadeira pra eu sentar, manda flores...

— Isso existe ainda?!

— Tem mulher que não se importa com isso, mas eu me derretia a cada gesto delicado dele. — Dá um grito choroso. — Eu não merecia ele. Por isso ele me largou.

— Calma, bi! Daqui a pouco você encontra outro boy igual.

— Outro igual? Moreno, bonito, cheiroso, gostoso, com aquele peito forte e ombros largos? Você é que nunca sentiu o cheiro dele: aquele cheiro cítrico. Cheiro de homem...

— Gente, que fogo! Mas ele deve ter algum defeito. Não é possível.

— Eu já disse: ele é perfeito.

— Ele deve ter mau hálito.

— Claro que não. Ele tem um hálito fresco o dia todo.

Ele pensa.

— Já sei: ele deve ter uma amante. Claro! Nenhum homem consegue ser totalmente fiel.

— É claro que não. Ele disse que me amava e eu acreditava na sinceridade dele.

— Que ingenuidade, bi! É claro que ele dizia isso. Provavelmente, ele te traía com a secretária.

— Uma senhora evangélica, de 63 anos, viúva com cinco filhos?

— Uma prima? Uma prostituta?

— Ele não tem família, coitado. E eu tenho certeza que ele não se envolvia com essas mulheres da vida. A gente... sabe?... mais de cinco vezes por semana.

— Cinco vezes? Credo, mas... Nossa! Mas assim... ele é bom de cama?

— O melhor: carinhoso, ousado, criativo...

— Então, ele deve ter chulé.

— Eu já disse que ele cheira bem o dia todo.

— Fuma?

— Nunca fumou.

— Ronca?

— Dorme como um anjo.

— É viciado em jogo? Bate na mãe? Bebe demais?

— Não, não e não! Ele é perfeito como ser humano e como homem. Ele é bondoso, faz trabalho comunitário, é generoso e simpático; ele é bem-humorado e bonito. Ai, como ele é bonito! Os olhos claros, o sorriso branco, o corpo de homem. E tem cheiro de homem. Ele... — ela vira-se de costas e vê o amigo mexendo na sua bolsa. — O que você tá fazendo?

— Eu? Só vou pegar um número de celular na sua agenda. Peraí! É rapidinho.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Rapidinha

Uma roda de amigos numa festa.

— Nossa, caras! — um diz. — Vou ali tirar a calcinha da minha mulher!

Os outros ficam admirados com aquilo.

— Uai, mas você vai fazer isso agora? Aqui no meio da festa? Que potência, hein!

— Não, não é isso! É que ela tá me apertando.


sábado, 3 de setembro de 2011

10 coisas que amo

Olá, pessoas! Mais uma vez venho aqui pra falar sobre um assunto que eu adoro: eu mesmo! [Risos] Tô brincando, gente! Ou não.

Ganhei a indicação pra fazer esse meme super divertido: 10 coisas que amo. Eu poderia falar sobre um monte de coisas que todo mundo já sabe de mim, mas eu resolvi falar de gostos inusitados. Na verdade, nem tanto. Vamo' lá, então!

1. Divulgue o nome de quem repassou a tag: Clara.
2. Poste 10 fotos de coisas que você mais gosta.
3. Repasse a tag para 10 blogs e notifique o dono: Italo, Mônica, Augusto, Felipe, Jota, Babi, Thaíse, Tiêgo (podem ser só 8?)


Abraços
Não estou imitando a Clara, não! Mas é que eu adoro um abraço bem dado. Oh, coisa boa! Uma vez eu li que nós temos que dar, pelo menos, 3 abraços por dia. E eu tenho créditos de abraços pra uns bons anos. Uma amiga minha disse que eu pareço um ursinho de pelúcia que pede abraços toda hora. Quantas vezes a única coisa de que precisávamos era só um abraço?

Bermuda xadrez
Eu detesto quando me obrigam a usar alguma "fantasia"! Eu não gosto de andar de calça e pronto. Eu só uso calças quando me dá uma louca, mesmo. Ou quando eu sou obrigado! [Ficou parecendo que eu gosto de andar pelado]. O resto da semana eu gosto de andar de bermuda. Pareço uma criança de uniforme do pré-escolar. E as minhas bermudas xadrez [?] são minhas preferidas. Só vou me desfazer delas quando rasgarem nos fundilhos.

Bibliotecas e Livrarias
Sou um rato de biblioteca. A Biblioteca Municipal, da escola, da faculdade... E adoro visitar as livrarias e o sebo que eu conheço. Às vezes, eu não procuro nada específico: gosto só de ficar andando entre as prateleiras, sentindo o cheiro e a textura dos livros, vendo os títulos, as lombadas... Ai, ai! É um lugar ótimo pra ter inspirações, lembrar de coisas que a gente nem viveu e... dormir. Tá, eu confesso: o silêncio da biblioteca é tão gostoso pra um cochilo.

Cinema
Eu adoro ir ao cinema. Eu entendo pouco de filmes — não assisti à maioria dos considerados clássicos —, mas eu gosto especialmente de ir cinema. Gosto do espaço do cinema. E gosto é de sala cheia! Gosto de ouvir os risos, os gritos, compartilhar os arrepios. E gosto dos que adoram comentar o filme. Nem tanto, né! Eu detesto que comentem todas as cenas, mas é engraçado um comentário aleatório. Gosto de ver as crianças se encantando com os óculos 3D, com as pessoas suspirando com o par romântico ou se contorcendo de rir com as comédias. É sagrado: toda semana eu tô lá.

SMS
Amo, amo, amo SMS inesperado! Você tá lá concentrado na aula e um amigo seu te manda uma mensagem só pra dizer que sonhou com você, ou que comprou um CD, ou que assistiu a um filme ou dizer só "bom dia"! Ou pode ser uma mensagem carinhosa como a ilustrada acima. Qualquer coisinha pela mínima que seja me abre um sorriso. E eu sempre retribuo com algo na mesma categoria.

Gargalhada
Tem uma coisa melhor que ver uma pessoa "morrendo" de rir? Gosto das pessoas que não seguram suas gargalhadas exageradas, que choram de rir, que ficam vermelhas... Além de ter uma gargalhada espalhafatosa, chorar de rir e ficar vermelho, eu ainda perco as forças da perna, caio no chão, engasgo, fico sem ar. Eu amo rir e amo fazer os outros rirem. Eu tento ser engraçado e as pessoas dizem que eu sou engraçado, então... eu tô no caminho certo. Mesmo que eu tenha que pagar algum mico eu tô sempre dizendo: "Dá um sorriso!". Não precisa de mais nada pra pessoa já começar a rir. E ainda faz bem pra saúde, gente!

Sorvete
Bendito seja o criador do sorvete! Sorvete cabe em qualquer momento: numa reunião em família, num encontro de amigos, num domingo, numa segunda-feira, à tarde, na hora da novela... Sorvete é coisa linda de Deus! Eu tomo sorvete quase todos os dias. Gosto de descobrir sabores novos, mas eu sou um pouco preconceituoso: gosto dos sorvetes brancos e rosas [Risos]. Como sorvete no shopping, na praça, dentro do ônibus, toda hora. Eu vou parar de olhar essa imagem aí em cima que tá me dando uma vontade louca!!!

Olhos azuis
Tá, gente! Todo mundo sabe que eu queria ter os olhos azuis. Não é que eu não goste dos meus olhos mel — pra não dizer castanho, mesmo —, mas é que os olhos azuis são irresistíveis e enigmáticos. Cada olho azul traz uma sensação diferente: podem ser olhos inocentes, sensuais, assassinos, travessos. A minha irmã tira os bebês de olhos azuis de perto de mim pra eles não serem objetos da minha inveja. Ah, mas fazer o quê, né? O jeito é admirar.

Novela
Até parece que ninguém sabe que eu gosto de novela. Eu amo! Não sei de onde veio esse meu hábito; talvez da época que eu era antissocial na 5ª série. Mas antes disso eu já assistia novela mexicana no SBT e algumas do Vale a pena ver de novo. Depois fui pra Malhação — que não é bem uma novela, né —, fui gostando das novelas das oito. Depois das sete, das seis, as minisséries... Mas eu também assisto às novelas que eu não sigo: eu gostava de dar umas risadas com Os Mutantes, Pantanal, Rebeldes... Nossa, acabei de lembrar: eu assistia à uma novela chamada Éramos Seis. P*ta que pariu! Essa é velha! Eu nem entendia direito, mas eu seguia. Esse ano ainda, pra me matar, a Globo coloca uma novela das onze. Aí, como é que eu vou dormir antes da meia-noite? Ninguém entende direito essa minha fascinação por esse tipo de entretenimento barato e popular, mas eu vou escrever um post sobre isso.

Lembranças
"Quem vive de passado é museu!" Tô pouco me lixando. Eu sou um museu ambulante, então! Para os outros, eu posso parecer até um pouco chato com essas coisas, mas eu tenho uma memória insuportável para fatos e datas. E quando me dá uma louca de relembrá-los... sai da frente. Se bem que eu convivo com pessoas que também gostam disso: a gente gosta de lembrar dos micos esquecidos — e que poderiam continuar esquecidos —, das fofocas antigas, dos amigos sumidos, das professoras do Ensino Médio, das viagens, dos namoros. Eu gosto desse clima retrospectiva. E, às vezes, eu faço isso sozinho mesmo: sinto uma necessidade imensa de fazer um balanço da minha vida periodicamente. Sei lá! Eu acho que é bom pra eu não esquecer quem eu sou e como eu cheguei até aqui. Ver que eu tive dias felizes — e ficar triste por estar na pindaíba agora —, mas também tive dias horríveis que consegui superar sem muitos prejuízos. Owunt... que lindo! Ficou bem livro de auto-ajuda, hein!

Ai, gente! Eu falo demais. Ufa! Bem... a mensagem tá dada. Quem não foi indicado lá em cima, sinta-se à vontade pra entrar nesse meme também [pelo menos eu acho que eu posso fazer isso!]. Então, deixa um coment aí pra mim e seja feliz!