quarta-feira, 30 de março de 2011

Rock e Bossa Nova

Cara,

Eu amo duas mulheres! Belas e encantadoras com seus cabelos, seus braços e abraços. A primeira tem os cabelos pretos encaracolados que caem pelos ombros num desarranjo harmonioso. A segunda, não menos fascinante, tem lisos cabelos loiros que definem o formato do seu delicado rosto de menina.


É estranho como eu me sinto atraído por duas criaturas tão diferentes. Com a primeira, eu sinto um calor dentro de mim; ela passa a mão no meu peito e as minhas pernas tremem e eu tento controlar os meus impulsos. Sinto a respiração mais difícil e a minha boca seca. Eu não consigo raciocinar. A segunda me encanta com sua doçura; ela me abraça e percorre as mãos delicadas pelas minhas costas e eu sinto arrepios pela minha espinha.

Quando eu penso na morena de cabelos encaracolados, vejo-a de vestido e batom vermelhos, com lápis ao redor dos olhos realçando seus olhos verdes; imagino-a sobre um salto alto, com o olhar sempre pra frente, como se intimidando os outros. Ela vem com os lábios entreabertos, mostrando os dentes brancos, e um sorriso discreto, irônico. Ela desfila com todos os holofotes em sua direção; e com todos os homens à sua disposição.
Já a dos cabelos loiros está com seu vestido rosa e esvoaçante. Seus olhos são azuis como o céu, ou como o mar. Não sei! Ela faz parte da natureza. Imagino-a andando descalça, com os pés em contato com a grama verde; vejo-a cantando com os passarinhos e dançando no ritmo do vento. Sinto que ela mal toca o chão; deve ser uma deusa. Ela está sempre com o sorriso branco nos lábios macios e seus movimentos são leves; sua pele é suave como a brisa.

Com uma eu dançaria um tango: algo forte. Nossas pernas se entrelaçariam, sincronizadas; seria algo natural para nós, mas visto de longe, pensariam ser ensaiado. Ela sentiria a força da minha mão no seu quadril e eu sentiria seu cheiro de mulher. Até a nossa respiração estaria combinada. E no fim, ela pegaria uma rosa dos meus lábios e terminaríamos com um beijo ardente.


Com a outra preferiria uma música romântica daquelas pra dançar abraçadinho. Eu colocaria minhas mãos nas suas costas, sentindo a sua respiração suave; e ela cruzaria suas mãos no meu pescoço e ia ficar com sua cabecinha escorada no meu peito. A música faria parte dos nossos corpos e nos movimentaríamos naturalmente pelo salão. As pessoas ficariam deslumbradas com tamanho encantamento.

Uma, a sensualidade; a outra, a singeleza.

Eu não sei o que fazer, cara! Escolher, nesse caso, será abrir mão. Não posso viver sem o fogo ou sem a brisa; não posso viver sem o rock ou sem a bossa nova. Elas me completam. Faltam duas partes no meu coração. E elas as preenchem satisfatoriamente.

Eu quero tê-las, mas não posso. Não sei o que fazer.

Me ajuda,

Outro cara; um apaixonado.

6 comentários:

Marcus Natir disse...

Legal a "história", cara. Boa sorte para o seu "personagem".

Vanessa disse...

Nossa, ficou boa demais esta história. Não é a toa que você ficou em primeiro lugar no blokurtanto. Parabéns.
Dificil escolha, uma é mais mulher e a outra e uma doce menina. Digo que quando uma pessoa ama duas pessoas ao mesmo tempo, e que na verdade ele não gosta de ninguém. Mas neste caso é complicado. Boa sorte para o seu personagem, rs.

Ana Lu disse...

Lindo demais esse texto! Parabéns pelo pódio, mereceu muito. Tenha sido escrito mesmo por você ou por um personagem que você inventou, foi muito sincero, de qualquer forma. Seria tão bom se tudo aquilo que preenche nossas falhas no coração fosse trazido por uma pessoa só né? É terrível quando escolher realmente significa renunciar..
Beijos!

Aline Neves disse...

Primeiro lugar mais do que merecido. Muito legal a história e a forma como descreve as garotas.
Em geral o texto foi ótimo. Parabéns.

Vanessa disse...

Nossa, não consigo me imaginar gostando de duas pessoas ao mesmo tempo. Eu ficaria louca, sério haha Ah, vi seu post sobre História. Você cursa História? Eu estou no 5º período de História e amo meu curso!!

érica reis' disse...

Parabéns pelo texto maravilhoso.