segunda-feira, 8 de março de 2010

O mundo é colorido

Assim como as mulheres e os judeus, os homossexuais já foram perseguidos e mortos em algumas partes obscuras da nossa história. Antes, tudo era mais difícil. No século XX, a homossexualidade deixou de ser considerada doença. Agora, é apenas uma opção, orientação, escolha… Agora, tudo parece certo. Isso visto pelo lado de fora.

O preconceito contra os homossexuais continua até hoje. Algumas pessoas insistem em se comportar feito os homens dos primeiros tempos. Às vezes, não agridem fisicamente; talvez nem verbalmente. Apenas ignoram, mantem distância, fingem que esse “tipo de pessoa” não existe. E ainda tem a coragem de dizer que não são preconceituosos.

Desde criança, eu aprendi que a palavra “gay” quer dizer alegre. E, desde pequeno, convivendo com pessoas tão diferentes, fui aprendendo a aceitar as diferenças. Como eu poderia desprezar uma pessoa que todos chamavam de alegre?

A homossexualidade é apenas uma situação do destino. A ciência ainda não conseguiu provar, mas tem fortes teorias sobre a homossexualidade ser de origem genética. Já assisti a uma entrevista de um homossexual dizendo que “não escolheria ser gay para viver todo o sofrimento do preconceito”. Gostar de pessoas do mesmo sexo é a mesma coisa que gostar de outra do sexo oposto. É só uma diferença de gostos.

Quando se fala sobre esse assunto, lembramos de religião. Cada religião tem suas explicações para todos os assuntos. E a homossexualidade não é diferente. Já ouvi pessoas dizendo que “Deus não aceita essa aberração”. Eu me decepcionei quando ouvi isso de uma professora. E eu rebato dizendo que Ele aceita qualquer forma de amor. Esse sentimento entre pessoas do mesmo sexo é apenas uma maneira diferente de amar. Tantas pessoas gritam por amor, mas não conseguem aceitar algumas diferenças.

Também já ouvi que “hoje em dia, é moda ser gay”. Não é que é moda, é apenas o pensamento das pessoas que parece diferente, maduro. É muito mais fácil se assumir nos dias de hoje do que 30 anos atrás.

Outra discussão constante são os casais homossexuais nas novelas brasileiras. Não sei quando foi a primeira abordagem sobre esse tema, mas eu me lembro da primeira vez que eu vi. Uma briga enorme entre a novela e os conservadores que não queriam permitir um beijo entre dois homens na frente do Brasil inteiro. Diziam que aquilo influenciaria os jovens a ter comportamentos homossexuais. Nem preciso falar sobre esse comentário.

Isso também acontece ao vivo. As pessoas, às vezes, não se importam com um casal de namorados heteros, mas ficam constrangidas quando um casal gay se beija na sua frente. Num local público, são capazes de ir embora dizendo que “mundo está mesmo perdido”.

Apóio completamente as produções que mostram a homossexualidade como algo normal, que faz parte do nosso dia-a-dia. Isso me faz lembrar o filme “O Segredo de Brokeback Mountain”. Não sei medir a quantidade de vezes que eu ouvi alguém falar mal desse filme. Mas, na minha opinião, esse filme é importante para todos entenderem que o amor entre pessoas do mesmo sexo é uma coisa normal. O filme também mostra a dificuldade dos dois personagens se aceitarem. Eles sabem que são apaixonados um pelo outro, mas acham isso errado. Preferem levar uma vida “normal” que se torna monótona e sem graça.

A justiça deveria ser mais severa na punição para pessoas que agredissem de alguma forma, não só os homossexuais, mas qualquer outro ser humano que vive, que tem esperanças, que ama como todos os outros. E tem o direito de serem ouvidos e respeitados.

Hoje em dia, somos “obrigados” a viver, conviver, com pessoas diferentes em cor da pele, religião ou preferência sexual. E uma pessoa que não é capaz de aceitar isso como uma coisa normal, não tem espaço em nossa sociedade. E a tendência é que esses “conservadores” tão rigorosos caiam em desuso nos próximos anos. Tomara que algum dia todos eles vejam as diferenças no mundo.

4 comentários:

Naty Araújo disse...

Gostei sim, Lucas... e demais.
Você foi simples e prático, eu diria.
Essas coisas são um tanto óbvias, mas as pessoas não conseguem enxergar isso, não é mesmo?
Cada um tem sua escolha, sua vontade, sua opção de ir e vir. Não devemos mudar isso... Querer colocar coisas onde não existem ou acrescentá-las onde tem.
É preciso respeitar opiniões e gostos.

Concordo perfeitamente com vc e desde já estou seguindo seu blog.
Adoro opiniões assim... Abraços, Lucas.
Vou postar o meu também para o Blorkutando.

Tiêgo disse...

Se não ganhar, ficarei indignado. Ficou muito firme, todo ele! Você foi simples e prático, como a menina disse aí em cima. Ficou muito bom mesmo!

Julia Piccolo disse...

concordo com os de cima. se nao ganhar, vai ser injusto.

Ana Paula disse...

Lucas,ficou maravilhoso. E eu não falo isso porque sou sua amiga, mas sim pelo fato de eu concordar com tudo que foi dito. Parabéns! Todas as pessoas moralistas e as pseudo-moralistas deveriam ler cada palavra sua.